Creative Commons License
"O Mundo Mágico de Horseman" by HorseMan®.

Veja no MUNDO MÁGICO DE HORSEMAN (Headlines) :

Hoje é...

domingo, 2 de dezembro de 2007

Corinthians - O fim melancólico e anunciado


Domingo de sol em Porto Alegre, dia para milhares de gremistas comparecerem ao altar sagrado do futebol, palco de tantas conquistas memoráveis, o estádio Olímpico Monumental. Último jogo da rodada, dia para se despedir do grande técnico Mano Menezes que tanto fez pelo tricolor, dos jogadores que com certeza farão muita falta no ano que vem e, de quebra, assistir ao Corinthians estrebuchar em campo.

Não que a torcida gremista tenha algo contra o Corinthians, na verdade a bronca maior é da torcida colorada ainda por causa daquela falcatrua monstruosa de 2005. De fato, mesmo eu, gremista ferrenho, fiquei de cara com aquilo. A forma escandalosa como o alvi-negro paulista foi favorecido naquele ano era de revoltar qualquer um, gremista, colorado, palmeirense, não importava.

Desde então, o time só foi manchete mesmo em páginas policiais. Envolvido em um número impressionante de falcatruas e negociatas, enfiado até o pescoço em uma parceria nebulosa com uma Empresa - no mínimo - duvidosa, o Corinthians foi escrevendo uma história triste de desmandos, falácia e incompetência que se refletia instantaneamente dentro de campo. Com um time caricato e incapaz, o timão agonizava empilhando derrotas e mais derrotas. Deu no que deu, e não poderia ser de outro jeito. O torcedor, coitado, ainda acreditava em um milagre divino, mas prevaleceu a máxima que diz "quem planta colhe".

No final é sempre quem sofre mais : o torcedor, que agora vai ter de amargar um ano de segunda divisão e a indefectível flauta dos rivais, que com certeza vão deitar e rolar por cima do caixão do timão. Futebol é assim, sempre foi e sempre será. Digo isso porque também tive o desprazer de ver meu querido Grêmio ser rebaixado - duas vezes - tendo ainda que admitir que mereceu pois não tinha futebol - nem jogadores - que honrassem a tradição da camisa tricolor. Mas ao mesmo tempo, posso dizer com certeza aos meus amigos corintianos o seguinte : não vejam o rebaixamento como um castigo, mas sim como uma oportunidade.

No caso do meu Grêmio, o rebaixamento serviu para que o clube inteiro se mobilizasse, se reestruturasse, buscasse com garra seu objetivo da forma como sempre lhe foi característico e que havia se perdido até então. O clube voltou ao comando do grande presidente Paulo Odone, que com seriedade e trabalho duro, recolocou o tricolor no lugar de onde nunca deveria ter saído. Com aplicação e inteligência, o Grêmio aprendeu com seus erros e virou a mesa. Por isso, digo que talvez esta sacudida sirva para que o Corinthians se reerga, dissociando-se definitivamente desta imagem negativa que se formou ao seu redor - a de ser um time envolvido com desonestidade - e volte melhor, limpo, livre da sujeirada. Vejam o Corinthians como um viciado que precisa urgentemente de uma desintoxicação, e a série B como uma clínica de reabilitação.


Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails